Posts com Tag ‘cinturão’

ufc-187

Nota do autor: Sábado o UFC irá viver o card mais polêmico e, consequentemente, um dos mais importantes (senão o mais) de 2015. Isso porque a edição 187 irá dar o desfecho de muitos debates e discussões que perseguiram este evento. Temos muitas perguntas sem respostas. Como Vitor Belfort irá se sair após o corte de seu tratamento de reposição hormonal? O Weidman fará o que para brecar o ímpeto de Vitor? Quem será o novo campeão da categoria dos Meio-Pesados? Sábado a noite teremos todas as respostas. Até lá, tome muito maracujá.

—————————————————————————————————————————————–

Para você sentir a importância deste card, abaixo vão 8 motivos para  não perder o UFC 187 por nada:

1) O UFC 187 definirá o novo campeão dos Meio-Pesados, em meio a uma polêmica que envolveu o, agora ex campeão, Jon Jones.

***[“Fique por dentro”: Jon Jones, era campeão dos pesos Meio-Pesados e se envolveu em muitas polêmicas jon-jones.opxr-44953-mid1desde o ano passado. Foi em agosto, quando  Jones brigou com seu rival (na época era Daniel Cormier)  no Lobby do MGM Hotel e Cassino, em Las Vegas.  A chibatada custou  $50 mil dólares de multa, mais 40 horas de serviços comunitários no lombo de campeão. Já Cormier pagou a metade da pena pois a bolsa do campeão era mais valiosa que a dele. O segundo deslise foi quando detectou-se cocaína nas veias de Jon Jones. Isso foi revelado através de um teste feito  no dia 4 de dezembro do ano passado.  Coisa tranquila para um campeão, né?!   :/ .  Ele não foi penalizado pois o UFC considerou a droga como fins recreativos, consumida fora do esporte. Para completar a lambança,  Jon ‘Bones’ Jones colidiu o seu carro com o de uma senhora grávida. VUPT!!! Ele sumiu do local do nada e não prestou socorro para a gestante, que quebrou o braço e quase desmaiou. Não feliz, o fanfarrão voltou para pegar a grana que tinha esquecido e o cachimbo de maconha que, na adrenalina, tinha ficado em cima do banco do passageiro. Um policial a paisana o reconheceu e a partir dali, a fila de dominó começou a ser derrubada. O patrão, Dana White, resolveu puni-lo radicalmente, tirando-o o cinturão para disponibilizar o título entre o desafiante atual (Anthony Johnson)  e o último desafiante ao título dos Meio-Pesados (Daniel Cormier). Sábado saberemos quem sentará no trono de uma das categorias mais disputadas do Ultimate].

2) A luta será  na cidade-matriz da Zuffa, Las Vegas. Ou seja, no território do UFC. Muitas celebridades e apostadores estarão presentes, o que faz a organização investir mais em mídias e ações promocionais;

maxresdefault***[“Fique por dentro” – Zuffa é a empresa que detém os direitos do Ultimate Fight Championship (UFC) desde 2001. Foi através dela que os irmãos Fertitta usaram suas influências na cidade que é considerada a Meca do esporte no mundo. Desta forma os dirigentes conseguiram incluir facilmente o evento dentro de cassinos de Las Vegas. A expectativa é que a arena esteja lotada e que seja um dos maiores cards do ano].

3) Vitor  ‘The Phenom’ Belfort teve seu tratamento de reposição hormonal vetado pela Comissão Atlética de Nevada. Após a proibição do tratamento, muitos lutadores apostaram no fim da carreira do brasileiro. Porém Vitor mostrou foco e determinação durante o seu período de treinamento e até postou várias fotos e vídeos em sua conta do Instagram, mostrando que o seu preparo físico está em ordem. Será?;

960_8fd916a0-d585-3c0e-a610-b5f3e6590fd2

Foto: UOL/ESPN

***[Fique por dentro: Vitor Belfort vinha usando a Terapia de Reposição Hormonal (TRT) por indicação e  acompanhamento médico.  Com o uso desse estimulante junto aos treinos, os atletas que praticam a reposição hormonal demonstram vigor físico acima do normal para  a idade. Ou seja, é como Vitor Belfort possuir a disposição de um moleque de 20 anos, porém com a experiência de seus 38 anos. Ate ágora, apenas alguns estados americanos proibiam a substância, mas com uma decisão da Comissão Atlética de Nevada de banir o produto desde fevereiro de 2014, todo o país está sujeito à proibição. Vamos fazer uma comparação:

A foto da esquerda mostra o corpo de Belfort em 2013 quando lutou contra  Bisping, Rockhold e Henderson e ganhou de forma avassaladora. Já a foto da direita foi tirada nesta semana para a divulgação da luta de sábado. Perceba que a definição corporal de Belfort é menos acentuada após o banimento do uso do TRT.

Este final de semana acompanharemos o desfecho da história. Será que o corte da terapia irá prejudicar a performance de Belfort ou o seu rendimento do Fenômeno será o mesmo?]

unnamed (6)

4) Nos 2 duelos mais importantes da noite, 3 lutadores são americanos. Anthony Johnson enfrentará Daniel Cormier, ambos dos USA, e Chris ‘All American’ Weidman que defenderá o cinturão do Peso Médio contra Vitor Belfort.

5) Não ser americano não significa que Vitor Belfort está em desvantagem em questão que envolve torcida e apostas a seu favor;

***[Fique por dentro – O contato do brasileiro com o povo americano é grande, já que sua vida é estabelecida por lá, além de sua aparição na tv americana é constante. A previsão é que a torcida no MGM Las Vegas Hotel seja dividida, já que também teremos um grande número de brasileiros na arena. Será uma batalha dentro e fora do octógono].

6) Na luta que antecede o co-main event, o também americano Donald Cerrone está a poucos passos de disputar o cinturão dos leves. A expectativa é que ele se saia bem contra o canadense John Makdessi, que vem de uma fácil vitória. Na verdade Makdessi caiu de paraquedas na luta. Este duelo era para ser entre Cerrone e o russo Kabib Nurmagomedov que valia, até então, a vaga de desafiante ao título de Rafael dos Anjos no Peso Leve. Dependendo do resultado deste combate, a categoria dos Leves irá ter um novo desafiante para o brasileiro;

7) Vitor Belfort pode ser o primeiro lutador a conquistar o cinturão em 3 categorias diferentes do UFC. São elas: Peso Pesado, Peso Meio-Pesado e, caso vença Weidman, Peso Médio.

8) Chris Weidman ainda não fincou 100% seu nome do UFC. Muitos críticos e fãs ainda duvidam da capacidade do lutador. Caso ele vença Belfort, Weidman pode mandar o famoso “#chupa” pra todo mundo!

crisweidman_coletivaufc2_evelynrodriguez_95

Foto: Globo.com

[Fique por dentro: Chris ‘All american’ Weidman ainda não conseguiu alavancar seu nome e sua imagem. Ele foi o cara que bateu Anderson Spider Silva e o mundo não o conhece.  No ano passado, 2 meses após a segunda luta contra Spider, um taxista não o reconheceu e falou dos lutadores de forma prejorativa e Weidman explicou através de suas Mídias Sociais: “No meu caminho para o aeroporto hoje, tive uma pequena conversa com o motorista do meu táxi sobre o que ele acha sobre aqueles ‘lutadores de gaiola’ que têm mais testosterona do que cérebro. Então ele me perguntou se eu trabalhava com essa indústria depois que disse que estava indo para as lutas em Dallas. Eu disse que sim. Então ele perguntou se eu era um lutador. Eu disse que sim. Fim da conversa. Não preciso nem dizer que tive um restante de viagem bem silencioso no caminho todo.”  O combate contra Vitor Belfort irá provar se Weidman está pronto para dominar a categoria dos médios ou não.

 

unnamed

 

O primeira semestre de 2014 não deve ter sido muito fácil para o Ultimate Fight Championship. A organização conseguiu se virar nos 30 e  produziu combinações de duelos que chamaram a atenção do público, mesmo quando quatro dos nove campeões do UFC estavam (ou ainda estão) afastados do octógono. Mesmo assim o primeiro semestre foi bem agitado levando em conta a maior rivalidade entre dois técnicos no The Ultimate Fighter 3 – Silva x Sonnen. Era uma receita fantástica para a venda de Pay Per View naquela edição, que daria o desfecho (ou apenas o começo) de um duelo dentro e fora do octógono.

No primeiro semestre pudemos conhecer um Jon Jones – ainda mais brutal e resistente – com novos ataques de cotovelo e com movimentos ainda mais inesperados. Porém alguns críticos e fãs ficaram insatisfeitos com a forma que Jones achou para aproveitar a sua vantajosa envergadura contra Glover Teixeira. Por vários momentos no combate o americano esticava o braço até o rosto de Teixeira, impedindo-lhe a visão. O árbitro Dan Maragliota ainda interrompeu a luta por 2 vezes para advertir o lutador verbalmente sobre uma possível perda de ponto. O confronto foi para decisão dos juízes e Bones manteve o título dos meio pesados.

Outra defesa de cinturão que deixou os brasileiros acordados até tarde para assistir foi  a defesa de título de José Aldo, contra Ricardo Lamas com uma vitória técnica e precisa. O êxito mostrou que o novo Aldo – técnico e calculista –  definiu sua nova forma de combate. Mesmo sendo alvo de algumas criticas feitas pelo presidente do UFC, Aldo continua focado em manter seu título de uma forma precavida – sem firulas –  e sem altos e baixos. Já Barão, parceiro de treino de José Aldo,  defendeu o título por duas vezes neste ano. Uma defesa positiva foi contra o californiano Urijah Faber, onde liquidou o adversário logo no inicio da luta,  e um revés contra TJ Dillashaw, perdendo sua invencibilidade de quase dez anos. A revanche está marcada no UFC 177, onde Barão, dessa vez como desafiante, tenta tirar T.J do trono dos “Leves”.

Outro título que mudou de dono foi o da categoria de George St. Pierre – GSP abdicou o cinturão dos médios -. Após o cinturão ficar sem dono, Johny Hendrix passou por Robbie Lawer com um triplo 48-47 e ficou no topo da categoria dos médios. Hendricks, que particularmente  se considerava campeão ao ser derrotado de maneira duvidosa em seu último combate contra GSP pelo título, cumpriu sua promessa e conquistou o cinturão, apesar de muitos acharem que Lawer deveria ter levado o cinturão.

The Oscar goes to…

Sem dúvida a campeã dos pesos galo feminino, Ronda Rousey foi o grande destaque do primeiro semestre. Ela quebrou todos os argumentos de quem ainda tinha dúvidas de sua capacidade no mundo do MMA. Ronda lutou três vezes nos últimos sete meses e venceu de forma absoluta todos os combates. Uma curiosidade sobre a campeã é que nesse período de 7 meses, além das três lutas feitas pelo UFC, Rousey ainda reservou um tempo para gravar uma ponta no filme “Os mercenários 3”.

Aqui vão 3 momentos cruciais que marcaram cada luta  neste período. Será que alguém consegue superar estes números nos próximos 6 meses?

Ronda Rousey vs Miesha Tate

UFC 168 – Momento em que Ronda Rousey recusa-se a cumprimentar Misha Tate após a luta. A loira alega que ali não era hora de se conciliar, já que o desafeto das duas vem de tempos atrás. Este foi o primeiro combate que a campeã finalizou apenas aos 58 segundos do 3 round.

20140222093320_dddd

UFC 170 – Joelhada certeira no rim de Mcmann. Esse golpe fez a desafiante desabar e ficar totalmente vulnerável. Ali foi-se encerrado o combate. O combate durou 66 segundos.

ronda-rousey-vs_-alexis-davis-ufc-175-july-2014_7

UFC 175 – Alex Davis aguentou apenas 16 segundos de luta. Após uma trocação entre as 2, Ronda aplicou uma queda, caindo exatamente nesta posição (da foto), onde aplicou inúmeros socos até a intervenção do arbitro. o Combate durou apenas 15 segundos.

 

 

 

 

weidmanchutalyotoufc175getty

Após da luta valendo o cinturão dos galos feminino de ROnda Rousey contra Alexis Davis, veio o combate entre Lyoto Machida e Chris Weidman. O começo da luta foi bem estudada, claro. Lyoto só disparou o seu primeiro golpe depois de quase 2 minutos de luta (a cara do Lyoto, não?!), enquanto Weidman tentava alguns golpes tímidos, pois sabia que a estratégia do carateca era o contra ataque. Em várias situações os dois entravam na zona de alcance, porém  nenhum deles desferiam golpes.  Weidman porque sabia que ao golpear, ele poderia ser surpreendido pelos contra golpes de Lyoto, que por sua vez não golpeava pois Machida esperava o golpe do americano, para poder contra atacar… ou seja…

chrisweidman_lyotomachida-ufc175-get3

A luta foi técnica até o terceiro round, onde Weidman consegui dominar o brasileiro com boas sequencias no boxe e algumas tentativas de queda, porém o brasileiro fez bem o anti jogo. No quarto round, Lyoto mudou a estratégia e surpreendeu Weidman com golpes certeiros no rosto, que chegou a  respirar de boca aberta. Sim, na pressão o americano se desconcentrou com a respiração e força e começou a se liminar nos golpes, pois começou a mostrar sinal de cansaço. Quem sabe se Machida tivesse começado com esse ritmo, o combate seria diferente.

A luta foi para a decisão dos juizes que deram  (49 a 45, 48 a 47 e 49 a 46) a favor do campeão num grande combate de cinco rounds na Mandalay Bay Arena.

 

TJ Dillashaw vs Renan BaraoFoi uma noite bem incomum na madrugada de sábado para domingo. No MGM Arena em Las Vegas tivemos uma noite nada a favor para os fãs de Renan Barão. O que aconteceu??? Barão se intimidou na frente daquele americano? Ele sofreu alguns cortes no rosto e se abalou por sangrar pela primeira vez dentro do octógono? A luta foi comprada (Existe pior desculpa do que essa)?? Porque ele não foi para a luta de chão quando o seu corner o aconselhou? Para tudo. Vamos começar “do começo”.

Tudo parecia normal. O cara que estava invicto a 9 anos em 33 lutas teve a sua entrada ao som de “Sou ciumento mesmo”, forró de Wesley Safadão (será que foi isso??), a torcida brasileira marcou presença com o famoso grito “Uh, vai morrer” e a luta começou…. foi aí que a coisa mudou. Vamos aos fatos.

No inicio da luta o potiguar não demonstrou a explosão que mostrava costumeiramente no inicio de suas lutas, enquanto TJ Dillashaw começou agressivo e acertou um direto no rosto de Barão que foi para o chão. “Alemãozinho corno” disse eu na hora…Acho que ele me escutou e ficou bravo, pois ali começou o massacre. A partir disto a diferença de performance entre o brasileiro e o americano foi nítida. O TJ fazia troca de pernas, lutou de guarda baixa em vários momentos da luta, usou criatividade em suas sequencias de golpes com superman Punch, chutes altos e baixos e seu gás foi impecável do começo ao fim. Enquanto Dillashaw deu um show de luta em pé, Barão se apagou em todos os rounds. Suas sequencias não tinham continuidade, os golpes aplicados em TJ não eram tão contundentes como os de seu adversário e no final do segundo round o campeão demonstrou cansaço para competir de igual para igual nos próximos 3 rounds.

O nocaute do americano veio no quinto assalto. Era o tudo ou nada de Barão, que começou o último round com o olho direito bem inchado. O potiguar bem que tentou seus chutes rodados, suas sequencias na trocação mas a leitura do americano estava perfeita. Parecia que ele já sabia tudo o que Barão iria fazer. Dillashaw não parava de se mover. Ia para a direita, esquerda, recuava na hora precisa, avançava para intimidar Barão e o que mais me intrigou foi que ele fez tudo isso de guarda baixa. Quem é louco de lutar contra Barão com as mãos quase na linha da cintura? A noite era do americano. Nos 2:36 segs do quinto round  Herb Dean interrompeu a luta depois de um Knockdown, seguido por vários socos no chão aplicados por TJ.

barao02” Sonhei muito com isso, é um dos sentimentos mais loucos que posso sentir. Acreditem, vocês podem ser os melhores do mundo. O Barão é o melhor do mundo. Eu sinto muito respeito por entrar no octógono com ele, é o melhor do mundo e isso me deixa orgulhoso. Lutei contra o melhor e dei meu melhor para ser o campeão do mundo. Meu muay thai está afiado, acertei um bom golpe (no primeiro round). Obrigado ao meu time e ao meu técnico. Fui agressivo, treinei todo dia muito duro e sempre procuro acabar com as lutas, sem deixar para os juízes. Então preciso fazer meu melhor e ser agressivo – disse Dillashaw.

 

O brasileiro se mostrou abatido depois da luta, mas prometeu seu retorno. “Foi duro mesmo, está de parabéns o Dillashaw. Mas vou voltar, podem anotar. Minha estratégia é sempre fazer meu jogo, meu melhor, que é em pé, e defender bastante as quedas dele, mas foi o dia dele. Deus sabe todas as coisas e vou recuperar o que é meu”.