Posts com Tag ‘Jiu Jitsu’

9 de maio foi o dia em que descobrimos quais são os pesos pesados mais duros do mundo do Jiu Jitsu na atualidade. Mais uma vez Felipe Preguiça Penna levou a melhor e ficou com o título da Copa Pódio. Mas não pense que foi de boa pra ele. O campeão quase tropeçou nas quartas quando enfrentou o faixa-marrom  Vitor Honório, que venceu o duelo por 2 vantagens a 1. Mesmo com o resultado negativo, Penna avançou para a semifinal.

Felipe preguiça teve pela frente Tim Spriggs, onde levou a luta com uma raspagem a partir do 50/50.

Na final do GP, o campeão encontrou Victor Honório, que vinha de vitória sobre Serginho. A final foi emocionante e decidida nos últimos segundos. Confira a luta completa da final da Copa Pódio 2015 dos pesos pesados!!!

Anúncios

Por que confundem Jiu Jitsu com MMA?

Publicado: setembro 25, 2014 em Treinos
Tags:,

unnamed (5)Nota do autor – Combinei de fazer alguns rolas na academia de meu prédio com alguns amigos que praticam Jiu Jitsu. Era um final de semana ensolarado e estávamos empolgados por termos conseguido nos reunir logo de manhã. Todos nós estávamos prontos para ter uma manhã focada em aprender novas técnicas e fazer algumas lutas amistosas, sem nos limitarmos com o tempo no tatame. Queríamos apenas treinar e conversar.  Na hora de pegar a chave da academia, o sindico me perguntou que luta iríamos treinar. – “Nós vamos fazer um treino de Jiu Jitsu” – disse à ele. A expressão do senhor mudou. O sindico fechou a cara, franziu as sobrancelhas e disparou: “- Não quero ninguém saindo da academia sangrando. Isso é uma brutalidade… –

Bom, provável que o leitor que pratica Jiu Jitsu já deve ter passado por situações onde alguém confundiu o Jiu Jitsu com MMA. Porque essa ligação? É o que vamos abordar neste post !!!


Porque as pessoas confundem o Jiu Jitsu com o MMA?

Bom, é uma boa discussão, não?! Para entendermos melhor o motivo dessa confusão toda, sugiro que voltemos ao passado para relembrar a história do Jiu Jitsu, para então chegarmos a uma conclusão mais plausível sobre este assunto.

Segundo Carlos Gracie Junior, o Jiu Jitsu tem registros a partir do ano 2000 A.C.. Doido, não? A arte sempre esteve nas gerações passadas e, claro,  sofreu várias modificações até chegar no Brasil, no ano de 1914. Carlos Gracie foi o primeiro brasileiro a ter acesso a arte suave. Ele aprender e passou a seus filhos. Um deles era Helio Gracie. A história todos conhecem: Ele aprimorou ainda mais a precisão e desenvolveu uma forma onde uma pessoa pequena e com pouca habilidade muscular, pudesse desafiar de igual para igual um lutador mais forte. Essa foi a grande sacada! A técnica, agora atualizada por Hélio, era infalível. Tão infalível que a família Gracie desafiava qualquer mestre de qualquer arte marcial a desafiá-los a um duelo. O ganhador levaria uma fita com a gravação do duelo e todo o prestígio que era posto em jogo naquele combate. Foram anos fazendo esse teste, até chegarmos em  1993. Data em que o Jiu Jitsu  passaria pela sua maior provação. Teríamos naquele ano o primeiro MMA legalizado da história, com lutadores representando outras modalidades. Começava naquele momento a era MMA. Naquele tempo conhecido como “Vale Tudo”.  O representante do Jiu Jitsu foi nada mais nada menos que Royce Gracie, que não só foi o primeiro campeão da história do MMA, como provou a eficácia da nova arte, agora apresentada ao mundo. Como aquele garoto poderia bater em gigantes??? Como seria possível alguém estar em vantagem, mesmo estando por baixo em uma luta no solo?? A partir daquele dia, o conceito de luta profissional mudaria para sempre e o Jiu Jitsu alcançaria uma abrangência mundial.

O grande passo foi dado. O Jiu Jitsu  andou entrelaçado com o MMA e com isso os maiores e melhores profissionais aprovaram e aprenderam a arte suave para então entrar no octógono com um conhecimento de luta de solo, deixando-os ainda mais completos. A tentativa de o Jiu Jitsu ter seu nome e andar na própria sombra começa a transparecer. Apenas os leigos não enchergam a diferença e acabam por assimilar que é tudo a mesma coisa.  Quem sabe esta dúvida estaria extinta ao ser um esporte olímpico?  É só uma suposição, claro. Até lá, nós jiu jiteiros ainda faremos muito aquele tipo de expressão (da foto) quando leigos afirmarem que tudo é a mesma coisa.

Graduação no Jiu Jitsu!

Publicado: novembro 30, 2013 em LUTADORES
Tags:, ,

20131130-104409.jpgAté ontem  (sexta 29),  a responsabilidade era outra. Agora a expectativa é que os treinos sejam diferentes. Isso porque após 13 meses de trabalho, consegui passar pelo primeiro estágio na arte suave. Foi um período marcado por muito suor, falta de ar, dores musculares, hematomas e muita força de vontade. Calma, vamos por partes.

Comecei o Jiu Jitsu com o propósito de apenas fazer algum esporte para tentar emagrecer. Estava em meus 97 Kgs e no auge de minhas crises de bronquite, quando resolvi participar de um treino de Jiu na minha academia. Fui para o tatame curioso para ver se aguentaria o desafio.  5 minutos de aquecimento foram o suficiente para deixar claro que meu corpo estava totalmente despreparado para o treino e a falta de ar excessiva que sentia devido à bronquite, dificultavam ainda mais a qualidade de minha respiração, que à tornava ofegante para continuar qualquer proposta de exercício.

O Jiu Jitsu me apaixonou na primeira semana. Percebi que “a arte vai além da luta e a luta vai além da arte“. Aprendi que “ninguém faz sucesso sozinho” no tatame. Ficou extremamente claro para mim que, no Jiu Jitsu, “você cresce com o seu time e o seu time cresce com você“.

Os meses foram se passando e o treinamento foi amadurecendo. O equilíbrio passou a ser notado, força e respiração sofreram  uma transformação de controle e segurança, a dor passou de inimiga para aliada em treinos de superação e a força de vontade, que muitas vezes eram empurradas pelos nossos amigos de treino, ganhavam cada vez mais espaço em situações “impossíveis” de defesa.

Nesse 1 ano percebi que todos cresceram  físico e psicologicamente. Alias, foi uma transformação física geral, pois após 2 meses de treino, muitos iniciantes (como eu) já estavam com o peso adequado. Não foi diferente com o meu grande companheiro de treino, Fábio Amorim, que chegou no final de 2012 com sobre-peso. Hoje em dia, tanto ele quanto eu, estamos com os corpos estruturados e preparados para aguentar a maior parte dos desafios técnicos, psicológicos e físicos (Nem sempre, vai, rs).#maisoumenos            Ah, nossos “rolas” passaram a ser como uma luta de gladiadores em pleno coliseu. Praticamente a filosofia de vida ou morte (simbolicamente dizendo). #soquenão

A graduação foi uma mistura de emoção, felicidade, conselhos e palavras de incentivo de nosso mestre Rodrigo Brinco, onde liderou, construiu e treinou um time do zero, até completar a família que temos hoje, a qual tenho uma grande honra de fazer parte.

Avante para o próximo desafio. A jornada é longa e temos muito o que transpirar. Quem sabe ano que vem produzo com um post felicitando outros amigos, não?

Aqui vai me agradecimento em especial para o mestre Brinco, que liderou um time que levou juntamente com o treino, o compromisso técnico acompanhado pela garra, força e companheirismo.

Oss.

20131130-104425.jpg

Mestre Brinco e eu após a troca da faixa!!20131130-104439.jpg

junior-cigano-e-cain-velasquez-UFCÚltima semana do ano finalmente chegou e além do reveillon, a expectativa é a luta da categoria mais difícil do UFC, o peso – pesado! Junior Cigano dos Santos cedeu revanche à Cain Velasquez e eles irão ser os protagonistas da noite no último evento do ano, na edição 155 do Ultimate Fight Championship!

Vamos fazer uma pequena comparação entre os dois atletas para termos uma idéia do que pode acontecer no grande dia!

JUNIOR CIGANO DOS SANTOS tem 28 anos, 1.93 de altura, 108 Kg e tem o boxe como a sua formação nas artes marciais. As modalidades praticadas pelo lutador atualmente é o Boxe, Kick Boxing, Jiu Jitsu e Wrestling. Seu histórico no UFC é invejável. 15 vitórias e 1 derrota em seu cartel. De 826 golpes executados no Ultimate, o brasileiro conseguiu aplicar 407 tentativas bem sucedidas, ou seja, 48% de acertos, quase a metade das tentativas. Dos 407 acertos, Dos Santos concluiu 318 deles em pé e 89 golpes no chão e evitou 63% de golpes de seus oponentes, ou seja, é um bom golpeador e um ótimo defensor.

Cigano não tem o costume de trabalhar suas lutas no chão, por isso Junior dos Santos teve sucesso em 3 quedas de 4 tentativas. Suas defesas de queda tem sido excelente. 88% total de quedas evitadas.

Cain_Velasquez_500x325CAIN VELASQUEZ tem 30 anos, 1.85 de altura e pesa 109 Kg. tem o cartel inferior ao brasileiro em números de lutas. De 11 lutas, o mexicano venceu 10 e perdeu apenas 1. Sua derrota foi responsabilidade de Junior Cigano pela disputa do cinturão, no UFC on FOX.

Cain Traz uma vasta experiência em Jiu Jitsu, Kick Boxing e Wrestling, receita para que o lutador tenha um bom desempenho na trocação, como também na luta no solo.

Velasquez teve 545 tentativas total de golpes no Ultimate e conseguiu concluir 328. Dos golpes concluídos 81 deles foi em pé, 61 no clinch e a maioria no solo, com 186 golpes. O lutador teve até hoje 65% de golpes evitados.

Na tentativa de levar o oponente ao solo, Cain tem o número superior ao de Cigano. De 24 tentativas o mexicano levou os oponentes ao chão por 16 vezes e evitou 71% das tentativas de leva-lo ao solo.

A luta entre Cigano e Velasquez provoca uma dúvida em todos. Será que o combate irá se dirigir para a trocação ou será uma luta no solo?

E aí, deu para imaginar como pode ser o combate entre os dois lutadores? Qual o seu palpite?

Fonte:UFC.com