Posts com Tag ‘renan barão’

MMA: UFC 177-Dillashaw vs Soto

Foto – Today sports

Podemos dizer que esta edição, [que nem era lá assim tão aguardada] chamou atenção por vários tópicos. A polêmica do evento começou sua história 24 horas antes do combate, quando o UFC anunciou a troca entre Renan Barão por, até o então desconhecido, Joe Soto. O brasileiro ex campeão do peso galo desmaiou horas antes de chegar à Sleep Train Arena para passar pela pesagem. Segundo Dedé Pederneiras,  tudo estava normal e Renan havia perdido o peso planejado até aquele momento. O fato aconteceu faltando algumas horas para a pesagem. Barão estava na banheira quente – técnica que os lutadores usam para perder líquido no corpo, facilitando a perda de peso –  e, ao tentar se levantar, o potiguar apagou. Os médicos do UFC foram contactados e o primeiro procedimento ao constatar que o lutador estava sem a hidratação normal necessária, foi  hidrata-lo novamente através de soro direto na veia. Com isso Renan Barão estava fora do card.

A substituição por Joe Soto foi de última hora.  Joe que estava escalado para fazer uma luta preliminar do card, foi convidado a disputar o cinturão de uma hora para outra. Literalmente isso. Alias, uma proposta que poucos aceitariam. Como lutar contra um cara que não houve estudo algum? Como entrar no octógono para lutar 5 e não 3 roundsSoto não só  salvou o evento, como fez parte de um espetáculo.

Foto - Jeff ChiuFoi uma luta emocionante. O duelo teve trocação, trabalho no chão, tentativas de quedas, várias sequências de golpes, mais de 20 minutos de luta e fechou com um baita nocaute plástico aplicado pelo campeão. Um chutaço na tampa na cabeça de Soto, que desmontou na hora. Dillashaw acabava de fincar o seu nome no peso galo com uma performance de tirar o chapéu.

Enquanto tudo parecia um filme de superação para Joe Soto e  sonho para Dillashaw, para Barão era um longa metragem  dramático. Dana White se expressou, pedindo a mudança de categoria do lutador, alegando que sua estrutura corporal é maior do que é o proposto para a categoria dos galos. O presidente não só aconselhou Renan a subir para a categoria seguinte, como também envolveu o nome de José Aldo nessa. Ele sugeriu que os dois subissem de categoria. Renan para os penas e Aldo para o peso leve.

 

 

 

Anúncios

ASSISTA LUTAS DE GRAÇA

A oportunidade de Renan Barão recuperar o título está chegando.  Sábado iremos descobrir o desfecho da “novela” entre Barão e Dillashaw no UFC 177. Se o potiguar ganhar a luta, ele recupera o título e o prestigio, e prova que seu último revés foi apenas um acaso. Se perder, Barão se tornará apenas mais um lutador que corre em busca do título, porém terá que suar a camisa em dobro, já que ele conseguiu a chance de recuperar o cinturão logo depois de sua derrota contra o atual campeão, T.J Dillashaw no UFC 173.

Para comemorar os 12 anos de trabalho e também aproveitando o clima da revanche entre os dois lutadores,  o Canal Combate liberou 3 lutas marcantes na carreira de Renan Barão. Assista!

Urijah Faber vs Renan Barao

Renan Barão disputou o cinturão interino contra Urijah Faber e levou o título do peso galo. (Foto: Esther Lin of MMA Fighting)

JOE CAMPOREALE-USA TODAY SPORTS

Renan Barão passou o carro em cima de Urijah Faber novamente. Esta foi a primeira defesa de título de Barão, após permanecer como campeão interino do peso galo por 2 anos.

usa today

Dillashaw dominou Barão por 5 round, até finalmente liquidar a fatura no último assalto por nocaute técnico.

 

 

Foi divulgado hoje no site MMA Junkie um pouco da preparação de T.J Dillashaw e de Renan Barão. O contraste até assusta.  Enquanto T.J Dillashaw usa a seu favor uma tecnologia de ponta em seus treinos, Barão mostra a sua preparação com equipamentos e técnicas improvisadas no meio da rua.  Uma diferença absurda.

O vídeo começa com o americano em uma clínica  hiperbárica, dentro de cápsula individual de acrílico. Aquele tipo de terapia se chama Oxigenoterapia Hiperbárica ou OHB. Uma modalidade terapêutica na qual um paciente é submetido à inalação de oxigênio puro em uma pressão maior que a pressão atmosférica (em geral, de 2 a 3 atm), dentro de uma câmara hermeticamente fechada com paredes rígidas. (Wikipédia)

A diferença estrutural do centro de treinamento entre o Barão e Dillashaw  até me fez lembrar do filme Rocky 4, onde Rock Balboa enfrenta o campeão Ivan Drago. Um lutador russo que treina em uma academia com investimento do governo russo, enquanto Balboa faz a sua preparação em uma simples casa no meio da neve e usa equipamentos improvisados para fazer o seu preparo contra o campeão russo, que tinha ao seu dispor a melhor tecnologia da época.

Abaixo tem o vídeo divulgado pelo site MMA Junkie, onde mostra o treino dos 2 lutadores principais do UFC 177. Também resolvi colocar um pedaço do treinamento do filme Rocky 4. Balboa, mesmo com simplicidade de seus treinamentos, levou a melhor. Será que isso se repetirá com Barão?

TJ Dillashaw vs Renan BaraoFoi uma noite bem incomum na madrugada de sábado para domingo. No MGM Arena em Las Vegas tivemos uma noite nada a favor para os fãs de Renan Barão. O que aconteceu??? Barão se intimidou na frente daquele americano? Ele sofreu alguns cortes no rosto e se abalou por sangrar pela primeira vez dentro do octógono? A luta foi comprada (Existe pior desculpa do que essa)?? Porque ele não foi para a luta de chão quando o seu corner o aconselhou? Para tudo. Vamos começar “do começo”.

Tudo parecia normal. O cara que estava invicto a 9 anos em 33 lutas teve a sua entrada ao som de “Sou ciumento mesmo”, forró de Wesley Safadão (será que foi isso??), a torcida brasileira marcou presença com o famoso grito “Uh, vai morrer” e a luta começou…. foi aí que a coisa mudou. Vamos aos fatos.

No inicio da luta o potiguar não demonstrou a explosão que mostrava costumeiramente no inicio de suas lutas, enquanto TJ Dillashaw começou agressivo e acertou um direto no rosto de Barão que foi para o chão. “Alemãozinho corno” disse eu na hora…Acho que ele me escutou e ficou bravo, pois ali começou o massacre. A partir disto a diferença de performance entre o brasileiro e o americano foi nítida. O TJ fazia troca de pernas, lutou de guarda baixa em vários momentos da luta, usou criatividade em suas sequencias de golpes com superman Punch, chutes altos e baixos e seu gás foi impecável do começo ao fim. Enquanto Dillashaw deu um show de luta em pé, Barão se apagou em todos os rounds. Suas sequencias não tinham continuidade, os golpes aplicados em TJ não eram tão contundentes como os de seu adversário e no final do segundo round o campeão demonstrou cansaço para competir de igual para igual nos próximos 3 rounds.

O nocaute do americano veio no quinto assalto. Era o tudo ou nada de Barão, que começou o último round com o olho direito bem inchado. O potiguar bem que tentou seus chutes rodados, suas sequencias na trocação mas a leitura do americano estava perfeita. Parecia que ele já sabia tudo o que Barão iria fazer. Dillashaw não parava de se mover. Ia para a direita, esquerda, recuava na hora precisa, avançava para intimidar Barão e o que mais me intrigou foi que ele fez tudo isso de guarda baixa. Quem é louco de lutar contra Barão com as mãos quase na linha da cintura? A noite era do americano. Nos 2:36 segs do quinto round  Herb Dean interrompeu a luta depois de um Knockdown, seguido por vários socos no chão aplicados por TJ.

barao02” Sonhei muito com isso, é um dos sentimentos mais loucos que posso sentir. Acreditem, vocês podem ser os melhores do mundo. O Barão é o melhor do mundo. Eu sinto muito respeito por entrar no octógono com ele, é o melhor do mundo e isso me deixa orgulhoso. Lutei contra o melhor e dei meu melhor para ser o campeão do mundo. Meu muay thai está afiado, acertei um bom golpe (no primeiro round). Obrigado ao meu time e ao meu técnico. Fui agressivo, treinei todo dia muito duro e sempre procuro acabar com as lutas, sem deixar para os juízes. Então preciso fazer meu melhor e ser agressivo – disse Dillashaw.

 

O brasileiro se mostrou abatido depois da luta, mas prometeu seu retorno. “Foi duro mesmo, está de parabéns o Dillashaw. Mas vou voltar, podem anotar. Minha estratégia é sempre fazer meu jogo, meu melhor, que é em pé, e defender bastante as quedas dele, mas foi o dia dele. Deus sabe todas as coisas e vou recuperar o que é meu”.

 

 

 

UFC-173Se todas as lutas tem uma importância única para cada lutador, esta luta de Barão também tem uma preocupação única. Barão conseguirá marcar seu nome no UFC  “nesse estilo “paraibagem” dele?  Bom, para eu me expressar melhor, é preciso voltar ao inicio do mês onde toda essa discussão de estrelato começou na carreira de Barão.

Após a vitória fodástica de Barão contra Urijah Faber no UFC 169,  os cachês foram divulgados e chamaram grande atenção do público. Faber que nunca foi campeão do UFC, tinha o cachê grotescamente superior ao do campeão na categoria, enfiando uma quantia “simbólica”  de 240 mil reais no bolso mesmo com a surra que tomou, enquanto Renan Barão levou  53 mil reais.  WTF !?!?

“Eu gostaria que melhorasse meu contrato. Na verdade, um exemplo: sei que o Faber é um cara mais antigo, mas ele nem é o campeão, e tem uma bolsa muito melhor que a minha lá dentro do UFC”, disse Barão.

A partir daí, a polêmica começou. A declaração do Big Boss, Dana White, foi direto ao ponto – como sempre – e comentou sobre sua popularidade: 

” Me diga alguém que esteja feliz com o seu salário. Até mesmo Manny Pacquiao, que ganharia US$ 40 milhões para enfrentar Floyd Mayweather, está reclamando dos valores. Quem falou melhor de Renan Barão do que eu? Ele é um campeão, mas não é uma grande estrela ainda. Acho que ele reclamou de Urijah Faber ter ganhado mais que ele. Ele é um lutador e é pago para lutar. Se ele está dizendo que salvou o UFC 173, as coisas começam a não ficar boas para ele. Espero que não seja esse o caminho que tomaremos com Barão daqui para frente”.

Porém durante o mês, Dana rasgou elogios à Barão e até o comparou com Anderson Silva e Chuck Lidell:

” Renan Barão é um daqueles caras como o Anderson Silva. Nós nos esquecemos que houve um tempo em que ninguém estava falando sobre o Anderson e ele não tinha nem metade do reconhecimento que tem hoje. Demorou bastante tempo para ele ser reconhecido. Foi do mesmo jeito para o Chuck Liddell. Essas coisas não acontecem de um dia para o outro(…)”  

Dana continuou, dizendo: “Renan é um matador, ele entra lá dentro e tenta te finalizar, não perde há quase 10 anos, nunca sofreu uma queda no UFC e finalizou 70% das últimas 35 lutas e 100% dos seus duelos como campeão. É impressionante. Eu já ouvi todo tipo de desculpa estúpida possível para essa falta de reconhecimento por parte do público: que ele não é bonito o suficiente, que ele não fala inglês e etc.. Mas se você vai a uma luta para ver caras bonitos, você está no lugar errado”.

Bom, depois de todo esse diálogo que durou o mês de maio, Renan Barão teve o seu contrato renovado e seu salário reavisto antes mesmo do próximo combate. Agora o desafio é, além de vencer, é vencer BONITO, se firmar no UFC e marcar o seu nome na categoria Peso-Galo.

As transmissões começaram às 19 horas no Canal Combate.

UFC 173
24 de maio de 2014, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-galo (até 61,2kg): Renan Barão (61,2 kg) x TJ Dillashaw (61,2 kg)
Peso-meio-pesado (até 93,4kg)*: Dan Henderson (90,3 kg) x Daniel Cormier (93 kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg)*: Robbie Lawler (77,6 kg) x Jake Ellenberger (77,6 kg)
Peso-galo (até 61,7kg)*: Takeya Mizugaki (61,2 kg) x Francisco Rivera (61,2 kg)
Peso-leve (até 70,8kg)*: Jamie Varner (70,3 kg) x James Krause (70,8 kg)
CARD PRELIMINAR
Peso-leve (até 70,8kg)*: Michael Chiesa (70,8 kg) x Francisco Massaranduba (70,3 kg)
Peso-leve (até 70,8kg)*: Tony Ferguson (70,3 kg) x Katsunori Kikuno (70,3 kg)
Peso-galo (até 61,7kg)*: Chris Holdsworth (61,2 kg) x Chico Camus (61,2 kg)
Peso-leve (até 70,8kg)*: Al Iaquinta (70,3 kg) x Mitch Clarke (70,3 kg)
Peso-leve (até 70,8kg)*: Anthony Njokuani (70,3 kg) x Vinc Pichel (70,3 kg)
Peso-pena (até 66,2kg)*: Sam Sicilia (66,2 kg) x Aaron Phillips (65,8 kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg)*: David Michaud (77,6 kg) x Li Jiangliang (77,1 kg)

 

Fonte: UOL \ GLOBO.COM