Posts com Tag ‘ufc’

enrolados-a-bandeiras-weidman-e-belfort-se-encaram-pela-primeira-vez

Chris Weidman e Belfort – Foto: Divulgação UFC

Finalmente está chegando a hora. Depois de 1 ano de espera, está próximo o tão aguardado combate entre Chris Weidman e Vitor Belfort no dia 23 de maio.

O duelo entre os dois era pra rolar em maio de 2014. De lá até aqui, as lesões de Weidman e o dopping por parte de Belfort não permitiram o acontecimento da luta.

Este duelo está chegando em excelente hora.. porque, pare para analisar:  Este primeiro semestre para o UFC, tivemos mais polêmicas marcantes do que grandes lutas. Se parar pra pensar, da primeira luta do ano até aqui, assistimos apenas 3 grandes lutas de cinturão: Jones Vs Cormier  no dia 3 de Janeiro,  Ronda Vs Zingano  no dia 28 Fevereiro e Pettis Vs Dos Anjos no dia 14 de março. Claro que tivemos outras lutas de grande repercussão como a volta de Anderson Silva contra o fanfarrão Nick Diaz, mas a polêmica do dopping de Spider foi maior do que o retorno.   Demetrious Johnson também subiu no octógono para defender o título do Peso Mosca contra Kiojy Horiguchi mas o barulho não foi alto quando falamos algo sobre a categoria mais nova do UFC, dominada por um campeão que ainda não alcançou o ápice de fama em sua carreira.

Uma outra situação interessante sobre a luta que envolve Weidman e Belfort é que, caso Belfort ganhe o cinturão dos médios, ele será o único lutador a ser campeão do UFC em 3 categorias (Peso Pesado, Peso Meio Pesado e agora, Meio Médio). Além deste recorde pessoal, o Fenômeno irá contribuir com um título a favor do Brasil, se compararmos com os americanos. Por enquanto os USA está em vantagem com 6 cinturões: Demetrious Johnson no Peso Mosca, T.J Dillashaw no Peso Galo, Robbie Lawler com o título do Meio-Médio, Chris Weidman com o cinturão do Peso Médio, Ronda Rousey com o título do Peso Galo Feminino e Cain Velasques com o cinturão dos Pesos Pesados. O Brasil possui três cinturões na atualidade: José Aldo, que segue dominante no Peso Pena,  Rafael dos Anjos que surpreendeu à todos ao ganhar o cinturão contra Anthony Pettis de uma forma avassaladora e Fabrício Werdum, que conquistou o título interino dos Pesos Pesado enquanto Velasquez estava afastado devido à lesões.

Até o meio do próximo semestre esta vantagem americana sob o Brasil pode diminuir, já que teremos muitas defesas de cinturão americana sob lutadores brasileiros. São elas:

Chris Weidman Vs Vitor Belfort – 23/05;

Cain Velasquez (campeão) Vs Fabrício Werdum (campeão interino) – 13/06;

T.J Dillashaw Vs Renan Barão – A revanche – 25/07;

Ronda Rousey Vs Bethe Correia -01/08.

E que comece o desafio. O primeiro será Weidman e Belfort. Qual é o seu palpite?

Abaixo você confere uma reportagem referente à  luta entre Weidman e Belfort feita pelo Sensei SporTV.

Anúncios

unnamed

 

O primeira semestre de 2014 não deve ter sido muito fácil para o Ultimate Fight Championship. A organização conseguiu se virar nos 30 e  produziu combinações de duelos que chamaram a atenção do público, mesmo quando quatro dos nove campeões do UFC estavam (ou ainda estão) afastados do octógono. Mesmo assim o primeiro semestre foi bem agitado levando em conta a maior rivalidade entre dois técnicos no The Ultimate Fighter 3 – Silva x Sonnen. Era uma receita fantástica para a venda de Pay Per View naquela edição, que daria o desfecho (ou apenas o começo) de um duelo dentro e fora do octógono.

No primeiro semestre pudemos conhecer um Jon Jones – ainda mais brutal e resistente – com novos ataques de cotovelo e com movimentos ainda mais inesperados. Porém alguns críticos e fãs ficaram insatisfeitos com a forma que Jones achou para aproveitar a sua vantajosa envergadura contra Glover Teixeira. Por vários momentos no combate o americano esticava o braço até o rosto de Teixeira, impedindo-lhe a visão. O árbitro Dan Maragliota ainda interrompeu a luta por 2 vezes para advertir o lutador verbalmente sobre uma possível perda de ponto. O confronto foi para decisão dos juízes e Bones manteve o título dos meio pesados.

Outra defesa de cinturão que deixou os brasileiros acordados até tarde para assistir foi  a defesa de título de José Aldo, contra Ricardo Lamas com uma vitória técnica e precisa. O êxito mostrou que o novo Aldo – técnico e calculista –  definiu sua nova forma de combate. Mesmo sendo alvo de algumas criticas feitas pelo presidente do UFC, Aldo continua focado em manter seu título de uma forma precavida – sem firulas –  e sem altos e baixos. Já Barão, parceiro de treino de José Aldo,  defendeu o título por duas vezes neste ano. Uma defesa positiva foi contra o californiano Urijah Faber, onde liquidou o adversário logo no inicio da luta,  e um revés contra TJ Dillashaw, perdendo sua invencibilidade de quase dez anos. A revanche está marcada no UFC 177, onde Barão, dessa vez como desafiante, tenta tirar T.J do trono dos “Leves”.

Outro título que mudou de dono foi o da categoria de George St. Pierre – GSP abdicou o cinturão dos médios -. Após o cinturão ficar sem dono, Johny Hendrix passou por Robbie Lawer com um triplo 48-47 e ficou no topo da categoria dos médios. Hendricks, que particularmente  se considerava campeão ao ser derrotado de maneira duvidosa em seu último combate contra GSP pelo título, cumpriu sua promessa e conquistou o cinturão, apesar de muitos acharem que Lawer deveria ter levado o cinturão.

The Oscar goes to…

Sem dúvida a campeã dos pesos galo feminino, Ronda Rousey foi o grande destaque do primeiro semestre. Ela quebrou todos os argumentos de quem ainda tinha dúvidas de sua capacidade no mundo do MMA. Ronda lutou três vezes nos últimos sete meses e venceu de forma absoluta todos os combates. Uma curiosidade sobre a campeã é que nesse período de 7 meses, além das três lutas feitas pelo UFC, Rousey ainda reservou um tempo para gravar uma ponta no filme “Os mercenários 3”.

Aqui vão 3 momentos cruciais que marcaram cada luta  neste período. Será que alguém consegue superar estes números nos próximos 6 meses?

Ronda Rousey vs Miesha Tate

UFC 168 – Momento em que Ronda Rousey recusa-se a cumprimentar Misha Tate após a luta. A loira alega que ali não era hora de se conciliar, já que o desafeto das duas vem de tempos atrás. Este foi o primeiro combate que a campeã finalizou apenas aos 58 segundos do 3 round.

20140222093320_dddd

UFC 170 – Joelhada certeira no rim de Mcmann. Esse golpe fez a desafiante desabar e ficar totalmente vulnerável. Ali foi-se encerrado o combate. O combate durou 66 segundos.

ronda-rousey-vs_-alexis-davis-ufc-175-july-2014_7

UFC 175 – Alex Davis aguentou apenas 16 segundos de luta. Após uma trocação entre as 2, Ronda aplicou uma queda, caindo exatamente nesta posição (da foto), onde aplicou inúmeros socos até a intervenção do arbitro. o Combate durou apenas 15 segundos.

 

 

 

 

UFC 172 – Jon Jones vs Glover Teixeira

Publicado: abril 27, 2014 em UFC
Tags:, , ,

 

jones-cinturao-gettyMas que luta, senhoras e senhores. Mais uma vez Jon “Bones” Jones mostrou um portfólio de golpes que fazem você simplesmente não entender da onde veio aquele golpe. O cara simplesmente é um polvo!!!! Cara, Jones foi perfeito. Foram ataques atrás de ataques. Era chute frontal no joelho, combos de cotoveladas, chutes baixo, trocação forte na grade e claro, a famosa cotovelada giratória feita pelo campeão.

Teixeira por outro lado foi um guerreiro. Ele teve o seu ombro machucado logo no primeiro round em um clinch onde Jones aproveitou que o braço esquerdo do brasileiro sobrou e ele forçou uma chave que refletiu na lesão do ombro.

 

 

imagesA luta começou com Glover tentando dar pressão logo no primeiro minuto do combate e até conseguiu colocar um direto no rosto do campeão, porém suas tentativas foram anuladas pelo campeão. Sua envergadura (vantagem de 23 cm para o americano) não permitiu que Glover se aproximasse até a sua recuperação.  Os dois primeiros rounds Teixeira conseguiu manter o nível quase igualado, porém Jones colocou golpes mais contundentes no corpo de Glover e conseguiu levar o primeiro e o segundo round.

 

glover-sangue-jones-gettyNo terceiro assalto foi onde começou a superioridade absoluta do campeão. O americano encaixou um upper sinistro que fez o brasileiro perder o protetor bucal. Foi a partir desse assalto que Jones calibrou o cotovelo e ali começou uma dura sequência de cotoveladas –  que alias, é impressionante a facilidade que Jones tem de trocar de jab para cotovelada em milésimos de segundos- o que fez abrir um sangramento no nariz de Glover. O brasileiro até conseguiu encaixar um upper mas o americano absorveu bem, levando o brasileiro no clinch na grade, onde castigou Teixeira mais uma vez com bons combos de socos e variação de cotoveladas.

No quinto round Jones aumentou seu portifólio e colocou bem uma cotovelada de cima pra baixo e tentou uma de baixo para cima – a lá Anderson Silva-. Nos minutos finais o campeão evitou o brasileiro e se movimentou pelo octógono e ocasionalmente distribuía cotoveladas, joelhadas e até tentou um superman punch e uma joelhada voadora.

Antes de soar o gongo final, o campeão já estava levantando os braços e comemorando mais uma defesa bem sucedida do cinturão.

mma_jonjones_joerogan_reu_2

– Muito do que fiz foi improvisação. Eu percebi que era muito melhor na luta de mão que ele, graças ao meu background no wrestling. Mas agradeço aos fãs brasileiros que sintonizaram hoje, respeito muito os lutadores brasileiros e respeito muito o Glover Teixeira, agradeço pelo desafio – disse Jones, respeitosamente, na entrevista pós-luta.

 

Glover, humilde, reconheceu a superioridade do americano e revelou que lesionou o ombro durante a luta:

– Ele acertou o meu ombro direito. Esse cara é duro. Ele aguentou meu melhor golpe, eu acertei meu soco de esquerda umas três vezes. Ele é um grande campeão. Eu fiz minha estratégia, tentar pressioná-lo e acertá-lo com os ganchos, mas ele aguentou – lamentou Glover Teixeira.

 

 

 

wpid-vitorbelfort_michaelbisping_ufc_rib03.jpegOntem foi um dia especial para todos os fãs de MMA! Primeiro porque abrimos a temporada 2013 para o UFC, depois porque tivemos a volta do Ultimate na cidade de  São Paulo, assistimos um show do Massaranduba, vimos algumas polêmicas como a derrota duvidosa do estreiante Daniel Sarafian, rolou desistência por Pedro Nobre após tomar golpes ilegais e vimos a destruição do Fenomeno em cima de Bisping.

Neste edição Vitor Belfort estava diferente do começo ao fim do UFC SÃO PAULO. Primeiro por mudar o corte de wpid-nocaute.jpegcabelo para o estilo “moicano”, depois por se mostrar agressivo na pesagem e  tivemos uma mudança notável em seu estilo de luta. Belfort horas baixou a guarda, outra tentou aplicar uma giratória (incomum para seu estilo de luta) e finalizou o combate com um chute forte de direita que atingiu a cabeça de Bisping, fazendo o cara desmontar no chão.

Ainda no Octagon Belfort pediu revanche para Jon Jones e criticou o mestre das provocações, Chael Sonnen: “- Eu quero muito o cinturão. Dana White, deixa eu lutar com Jon Jones de novo, quero minha revanche. Campeão contra campeão! Tira o Sonnen de lá, ele é um palhaço. Eu que mereço”.

wpid-get.jpegMassaranduba se mostrou superior do começo ao fim da luta de abertura do Card UFC São Paulo. O cara mostrou um ótimo portifólio em cima de C.J. Keith com golpes que fizeram a galera gritar em vários momentos da luta. No começo, Massara estudou bastante  C.J. e trabalhou no clinch, chegando até a arremessar o adversário ao solo no primeiro round e aplicou uma ponte perfeita no segundo. Francisco Massaranduba finalizou C.J no Katagatame e se mostrou muito bem no primeiro duelo da noite.

wpid-19jan2013-o-lutador-carioca-pedro-nobre-desistiu-do-combate-contra-o-compatriota-yuri-marajo-pelos-pesos-galos-apos-tomar-golpes-na-nuca-e-saiu-chamado-de-arregao-pelo-publico-1358645311019_615x300.jpeg

O que pegou mal no Card foi a “chorada” que Pedrinho Nobre deu ao levar 2 golpes na nuca de Iuri Marajó. Ele ficou deitado no chão e a luta foi interrompida. O resultado deu como “No contest” !

Daniel Sarafian começou bem, mas logo deixou que o C.B Dolloway crescesse na wpid-19jan2013-com-sangue-no-rosto-brasileiro-daniel-sarafian-encara-cb-dollaway-1358657293473_956x500.jpegpontuação após tentar acertar alguns chutes sem fundamentos . O resultado dos juizes favoreceu a Dolloway.

 

Em breve traremos informações sobre os prêmios da noite. Você acha que Vitor Belfort merece o prêmio de K.O da noite? Comente!

Belfort Bisping-700No dia 19 deste mês teremos a primeira edição do UFC em São Paulo e a atração mais esperada da noite será a luta principal entre Vitor Belfort e Michael Bisping.

Para passar ao leitor do “Come Solto” uma idéia do que pode acontecer no dia, vamos comparar os dois atletas do “Main Event“.

vitor-belfortVitor Belfort tem 35 anos, 1,82 de altura e pesa 84 kg. Tem um cartel 21 vitórias, sendo elas 13 por nocaute, 4 por finalização e 4 por decisão. 10 derrotas mancham os números do brasileiro. 3 delas por nocautes, 2 por finalização e 5 por decisão. O carioca treina Boxe, Jiu Jitsu Brasileiro e dono de um striking inesquecível para suas vítimas (Wanderlei Silva que o diga).   De 325 tentativas de socos e chutes, o brasileiro teve 163 acertos em sua carreira no MMA e evitou 44% da tentativa de seus oponentes. Em suas tentativas de queda, Belfort teve sucesso em 6 das 8 no Grappling e evitou 63%  na tentativa de seus adversários.

lesnar-vs-mir-ufcMichael Bisping tem 33 anos, 1.88 de altura, pesa 84 Kg e tem 1.93 m de envergadura e praticante das modalidades Kick Boxing, Muay Thai, Karate e Jiu Jitsu Brasileiro. Tem 27 lutas em sua carreira do MMA e nisso o britânico tem boas marcas. De 27 atuações, Bisping conseguiu a vitória em 23 delas e saiu como derrotado em apenas 4. Suas vitórias foram definidas através de  14  nocautes, 4  finalizaçôes e 5 por decisão. Suas 4 derrotas foram marcadas por 1 nocaute e 3 decisões.  De 2087 tentativas de golpes, Michael Bisping teve sucesso em 840. A maioria foi em pé, com 584 acertos, 134 no Grappling, 122 no solo e evitou 70% dos golpes. De 56 tentativas de levar o oponente ao solo, ele teve 26 sucessos e evitou 63% de queda.

Daqui pra frente é contigo. Em quem apostaria suas fichas? Aqui é no papel. Na prática, somente dia 19!

belfort-bispingEstava esperando um Card mais forte para o UFC São Paulo, já que teremos os primeiros passos do Ultimate na maior praça de entretenimento e comunicação do país. A luta principal atinge minha expectativa, já que o confronto entre ídolo Vitor Belfort e o britânico Michael Bisping irá ter um grande peso para o futuro do cinturão dos pesos médios. Belfort luta por uma chance de vingar daquele chute frontal (que até virou foto de apresentação de games) de Anderson Silva no UFC 126 . Bisping por outro lado é o desafiante número 1 de Spider, caso vença o combate.

A grande surpresa não foi a estréia do Daniel Sarafian e sim a visibilidade que conquistou. O brasileiro participante da primeira edição do TUF Brasil irá fazer um combate contra CB Dollaway no coevento da noite, mesmo sem fazer a última luta na final do TUF Brasil por causa de uma lesão, e também por não ter uma combate sequer pelo UFC.

Já a organização do evento no Brasil ganhou um troféu “joinha”, após acertar um forte cruzado de direita nos fãs do UFC. Além de um card sem grandes nomes o valor do ingresso é mais alto do que todos esperavam. O mais barato está R$ 400,00 e vai até R$ 1.800,00.

Card principal:

Vitor Belfort vs. Michael Bisping;
C.B. Dollaway vs. Daniel Sarafian;
Ben Rothwell vs. Gabriel Napão;
Khabib Nurmagomedov vs. Thiago Tavares;

Card preliminar:

Godofredo Pepey vs. Miltinho Vieira;
Andrew Craig vs. Ronny Markes;
Nik Lentz vs. Diego Nunes;
Justin Salas vs. Edson Barboza;
Michael Kuiper vs. Caio Monstro;
George Roop vs. Iuri Marajó;
Roger Hollett vs. Wagner Caldeirão;
C.J. Keith vs. Francisco Massaranduba.

Que cacete!!!!  Meu palpite para a principal luta da noite do UFC 155 era um combate finalizado por um soco bem colocado. O  palpite não está totalmente errado. Após este pequeno “carinho” demonstrado por um direto aplicado pelo mexicano de coração Cain Velasquez (foto ao lado), Cigano apertou o botão “Lango Lango” e foi assim até o último segundo da luta.

Assisti a luta agoniado por ver o brasileiro naquela situação. A cada minuto que passava, Cigano parecia mais pesado. Os socos não encaixavam, as combinações eram previsíveis e suas luvas pareciam pesar 50 kg.

Durante a luta, a crítica “comeu solto” no Twitter e Facebook. O assunto foi rapidamente para os TTs, com várias opiniões sobre uma possível compra da luta. (O que me obriga notar que nós brasileiros em algumas situações agimos como mal perdedores por não valorizar a atuação do adversário).

Confesso que não compreendi a direção que Cigano tomava no combate. Em todas as quedas de sucesso de Cain, o brasileiro insistia em se levantar, ignorando a faixa preta de Jiu Jitsu conquistada no mesmo mês do evento. Em um depoimento após a luta Junior dos Santos falou ao Portal do Vale Tudo sobre isso e assumiu o erro na estratégia:

Acho que o que complicou foi eu não ter uma estratégia minha. Eu fiquei muito preocupado em evitar a estratégia dele, pensar no que ele ia fazer, e acabei ficando sem saber o que eu iria fazer(…)”.  “Devia ter usado meu jiu-jitsu, não ter tentado levantar toda hora, mas o pessoal ficou pedindo para eu levantar. E quando eu ficava tentando defender as quedas, ele me batia no rosto. Eu não consegui conectar um único golpe nele. Não tive a chance de acertá-lo em nenhum momento” .

Velasquez por sua vez, mostrou o porque é dono do cinturão mais “carrasco” do evento! O cara mandou bem na trocação, mostrando um portfólio de sequências de socos, dominou o combate no chão com seu Wrestling afiado, seu Clinch acompanhado por várias sequências de socos, que foram bem agressivas. O combate inteiro ele se manteve no domínio absoluto, esbanjando resistência para pressionar do começo ao fim, não deixando um espaço sequer para o brasileiro respirar. Após 5 rounds, até um leigo sabia que Cigano havia sido derrotado por pontos.